História da escola

           A atual Escola de Educação Básica Professora Lilia Ayroso Oechsler, conforme registros históricos da escola, assinado pelo professor João Januário Ayroso, a Escola Primária Estadual da Ilha da Figueira foi fundada em 1933, quando o município vinha se expandindo, após a emancipação política. A princípio os alunos eram acomodados no salão da Irmandade Nossa Senhora Aparecida.
A escola em 1947 passou a ser mista. Era considerada mista, a escola que atendia alunos de ambos os sexos, na mesma sala. Neste tempo em que se estava vivendo a guerra mundial, não era permitido falar alemão. Neste ano, a professora Lilia Ayroso, detentora do grau do curso regional, inicia as atividades docentes na escola, ensinando a língua portuguesa para os filhos de alemães. A escolha do seu nome para a escola se deve a grande dedicação que teve para que esta chegasse a ser uma instituição de ensino respeitada e de referência. E, também, em consideração aos anos de serviço no magistério Público Estadual, dentre eles 23 nesta escola.
Alguns foram os processos legais e estruturais que aconteceram. No ano de 1969 passou a se denominar Escola Isolada Estadual Ilha da Figueira. A opção de “isolada” se deve ao fato do número reduzido de alunos e, portanto, uma classe atende a quatro séries concomitantemente.
No ano de 1983 – Escola Reunida Ilha da Figueira – pelo Decreto nº183/83 autoriza o ensino de 1ª a 4ª série e no mesmo ano pela Portaria nº. 182/83 de 01/08/83 transforma-se em Escola Reunida;
1984 – Início das atividades do pré-escolar, na Escola Reunida Ilha da Figueira – Registro nº2414/12/84 amparada pela Lei 4394/11/69;
1985 – Foi criado o CEE João Januário Ayroso;
1986 – Foi transformada em Escola Básica Ilha da Figueira pela portaria nº. 144/86 sendo autorizada à grade curricular para 5ª a 8ª série;
1989 – Pelo Decreto nº3363/5/1989 ficou denominada com o nome oficial Escola Básica Professora Lilia Ayroso Oechsler;
1993 – Autorizado o funcionamento do ensino Médio de Educação Geral pelo Parecer nº. 120/93 que passa a ser denominado Colégio Estadual Professora Lilia Ayroso Oechsler;
2000 – Passa a ser denominada Escola de Educação Básica Professora Lilia Ayroso Oechsler e no mesmo ano pelo processo 19/SE 3356/00 – A aprovação do Projeto Político Pedagógico da Escola. 
A Unidade Escolar segue as diretrizes legais do Sistema Estadual de Ensino, considerando a Legislação Federal e as Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional nº. 9394/96 e sua Normatização. É integrante da Rede Pública Estadual, vinculada à Secretaria do Estado da Educação e Inovação, que tem como Órgão Regional a 24ª Secretaria de Desenvolvimento Regional / Gerência Regional de Educação e Inovação.

BIOGRAFIA DA PATRONESSE DA ESCOLA:

Lilia Ayroso Oechsler, nasceu em Joinville no dia três de maio de 1918, filha de João Ayroso e Tharcília Ayroso. Tinha como irmãos: Lélia, Rute, João e Irene.
Até os seis anos de idade, morou em Joinville, depois vindo residir em Jaraguá do Sul, no Bairro do Rio Cerro ao lado da Igreja Católica.
Aqui em Jaraguá do Sul, iniciou e concluiu seus estudos.
Iniciou sua atividade como professora em 1936, com dezoito anos na localidade de Tifa Jararaca no Bairro Garibaldi.
No ano de 1939 veio morar no Bairro da Ilha da Figueira.
Lilia casou-se com Albrecht Oechsler, no ano de 1947, alterando seu nome de Lilia Cevilha Ayroso para Lilia Ayroso Oechsler. Dessa união nascem três filhos: Marlene, Neuza e Luís Alberto.
Em dez de abril de 1947, assume como professora na Escola Mista da Figueira, atual Escola de Educação Básica Professora Lilia Ayroso Oechsler, onde atuou por mais de trinta anos. Aposentou-se em vinte e nove de setembro de 1961, mas continuou trabalhando.
Além de ensinar ler e escrever, Lilia também ensinava as crianças da comunidade, filhas de imigrantes alemães a falar a língua portuguesa.
Nas horas vagas, auxiliava as pessoas doentes da comunidade, medicando com chás e aplicando injeções.
Lilia não foi somente professora da comunidade da Ilha da Figueira, mas sim líder e irmã dessas pessoas. 
Lilia Ayroso Oechsler faleceu no dia onze de julho de 1985 com 67 anos, no bairro Ilha da Figueira em Jaraguá do Sul, com a certeza de ter cumprido sua missão na terra. 

2 comentários:

  1. Uma historia tão linda! sim, pode ter certeza que a Sra. Lilia Ayroso Oechsler cumpriu com a sua missão de ensinar e passar a cultura, pois hoje em dia é o que um professor faz, mais não é reconhecido de forma que merecem.

    Jussara P. Rocha 8ª01
    28-04-2013

    ResponderExcluir
  2. Parabéns família de Educadores
    A familia Ayroso foi e é destaque na Educação de várias gerações. Eu entrei nesta página pois iniciei uma pesquisa da família da minha esposa Marina filha da professora Alice Ayroso Schwartz e neta do professor Antonio Estanislau Ayroso. Quando a professora Lilian iniciou o seu trabalho bem como os outros professores Ayroso, era uma época que o professor não só educava as crianças mas eram amigos e conselheiros das famílias. Infelizmente nos dias de hoje perdemos a confiança nos educadores e consequentemente a nossa sociedade brasileira está abandonada de valores morais.
    Para resgatarmos o perdido precisamos aprender a valorizar os nossos mestres novamente.

    ResponderExcluir